Quem são os culpados pela derrota no Mineirão?

Padrão

É fácil, é prático, é gostoso culpar. Bodes expiatórios, ídolos que se tornam monstros, burros, estúpidos. A culpa é do Felipão, por ter entrado com Bernard, em vez de colocar três volantes. É do David Luiz, por não ter evitado o primeiro gol alemão. É do colombiano que quebrou o Neymar, pois com Neymar logicamente o Brasil ganharia de 7. É do Thiago Silva, por ter levado aquele cartão estúpido e ficado fora do jogo de hoje. É da Dilma e do PT, claro! Dilma, que derrubou o viaduto de BH, e agora enche a rede de Julio Cesar de gols.

Bem, parece que quase ninguém pensa, lembra ou sabe que a Alemanha, o verdadeiro país do futebol, é exemplo mundial do trato à bola e de tudo o que se refere à ela. Responsabilidade fiscal, jogos sempre lotados, campeonatos vistosos e lucrativos, categorias de base sérias, com planejamento, metas, trabalho forte em fundamentos. Bem diferente do que vemos por aqui. Clubes quebrados, sempre devendo os tubos, formação medíocre de atletas, treinadores desatualizados, dirigentes bandidos, esquemas e mais esquemas para levar cartolas e empresários à riqueza. Aqui onde temos empresários de jogadores travestidos de técnicos de futebol (Mano Menezes, Luxemburgo, para citar dois bandidos notórios). Aqui, onde temos um grupo de jogadores que criaram o Bom Senso FC, constantemente malhados por dirigentes filhos da puta, que preferem manter o status quo de degeneração total do futebol brasileiro, em vez de tentar tirá-lo da lama. Onde uma Globo da vida define horários de jogos e tabelas de campeonatos. Onde torneios inúteis, como os estaduais, tomam boa parte do já socado calendário, permitindo um festival de jogos absolutamente inócuos, que ninguém mais aguenta assistir.

A CBF, Casa Bandida de Futebol, dominada pela escória da sociedade, pelos Teixeiras e Marins da vida, com a anuência de presidentes dos grandes clubes e a conivência de governantes de todos os partidos. Por mais que a Dilma nunca tenha se aproximado dessa gente, ela recebe a HERANÇA MALDITA de Lula, que não via nenhum problema em posar para fotos ao lado do Rico Terra, e que nunca moveu um único dedo para tentar deter a promiscuidade no futebol brasileiro.

O brasileiro hoje sente uma puta vergonha. Foi a pior derrota da Seleção em todos os tempos. Mas foi mais que justa. Premia uma seleção que vem de um longo e correto planejamento, e destroça uma equipe que foi formada de qualquer jeito, vítima de tudo isso que coloquei acima.

É, o Felipão cometeu um erro estúpido em querer jogar de forma ofensiva contra uma equipe técnica e emocionalmente muito superior. Errou em convocar quase só jovens que talvez não aguentassem a pressão (e não aguentaram mesmo). Mas ele mesmo é vítima de um sistema que leva o esporte nacional ao abismo. Não só o futebol. Em 2016, passaremos vergonha novamente, nas Olimpíadas. Aí sai Marin e entra Nuzman. E a roubalheira e a falta de vergonha continua. Vergonha, só na cara dos atletas, que muitas vezes são apenas a ponta de um esquema que começa lá em cima, de forma praticamente invisível. É neles, muitas vezes, que toda a raiva é descontada. O Marin e o Ricardo Teixeira vão dormir tranquilos hoje…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s